Pomar do Espírito Santo: vinho premiado pela ExpoVinis e por quem degusta

0

Estava diante de uma garrafa especial. Não apenas porque era o vinho premiado como o Melhor Vinho Tinto do Velho Mundo – Península Ibérica pela ExpoVinis Brasil, em junho de 2017. Mas, sobretudo, porque era uma safra preparada com muito cuidado, como todos os outros rótulos, o que certamente resultou na premiação. O Pomar do Espírito Santo, de 2013, da vinícola portuguesa Manzwine é elegante, complexo e saboroso.

Anúncio da premiação do Pomar do Espírito Santo na ExpoVinis (Foto: Divulgação)

A ExpoVinis Brasil é a maior feira do setor na América Latina, uma referência no mercado internacional do vinho. E certamente sabe do que está falando quando premia um rótulo. Produzido com três diferentes castas portuguesas, touriga nacional, aragonez e castelão, o Pomar do Espírito Santo foi batizado com o nome do local onde tudo começou, alguns anos atrás.

Foi lá na propriedade, em Cheleiros, em Portugal, para onde a família Manz se mudou em 2004, que André Manz decidiu produzir vinhos. Descobriu que o pomar estava repleto de uvas tinta castelões e outras 200 cepas de uva branca de uma casta que não estava sendo identificada: era a jampal, extinta no país inteiro e que passou a produzir vinho diferente de tudo o que se havia provado. Hoje a marca produz nove rótulos diferentes que podem ser encontrados em Londrina, no Rio de Janeiro e em São Paulo, entre outras localidades.

Vinho
Voltemos ao Pomar do Espírito Santo, o vinho. Ao abri-lo, é possível sentir um odor ácido, sendo necessário deixa-lo respirar num decanter por uma meia hora. Pouco a pouco a acidez se dissipa e o vinho vai revelando suas deliciosas propriedades, tomando e ganhando o paladar, preenchendo-o por completo.

Meus amigos sabem que gosto de apreciar bons vinhos, seja com eles ou sozinho mesmo. Neste caso, eu estava sozinho, em casa. E fui degustando as primeiras taças. Até que resolvi pedir, no Barraco da Sopa, meu risoto preferido: costelinha defumada com gorgonzola, aquele que não tem no cardápio, mas que a cozinha já está acostumada a preparar. Embora seja um vinho que vai bem com carnes e assados, ou então com queijos, a harmonização foi perfeita.

O Pomar do Espírito Santo é encorpado, um vinho de respeito, apesar de ser extremamente agradável ao paladar. Talvez o ano envelhecido em barricas de carvalho francês com topo americano colabore para encorpar as propriedades do rótulo. Em Londrina é possível encontrar os rótulos da Manzwine na Decanter (R. Tupi, 571), no Mercado Guanabara (R. Assunção, 189), no Guanciale (R. São Francisco de Assis, 102) e no Prosa Cozinha Secreta (43-9.9108-8452). 

Vinho complexo e elegante, extremamente saboroso (Foto: Fábio Luporini)

Deixe uma resposta